menu
Topo
Paola Machado

Paola Machado

Categorias

Histórico

Como se motivar para treinar quando uma lesão ou doença cruza seu caminho?

Paola Machado

19/08/2018 04h00

Crédito: iStock

Sempre os profissionais focam muito na prevenção e tratamento de lesões, mas é muito raro pararem para falar um pouco sobre os aspectos motivacionais e o que você precisa fazer quando se depara com uma "pausa obrigatória" nos treinos, que pode fazer com que desande tudo o que conquistou até aqui.

Vamos colocar aqui uma situação hipotética…

Você está acima do peso e sedentário. Com muita luta, consegue se motivar para fazer exercício e dieta.

Os resultados aparecem, a autoestima aumenta e você pega gosto pela rotina saudável. Aí, surge uma lesão ou doença para quebrar esse ritmo, obrigando você a parar de treinar.

E agora, o que eu faço? Por que comigo? Vou ter que começar tudo do zero?

Já falei sobre memória muscular e esse ponto é muito importante estar claro na cabeça de vocês. Além do mais, é importantíssimo respeitar os procedimentos médicos, as intervenções do fisioterapeuta e os dias de repouso. Essa fase do tratamento é imprescindível para que você retorne ao treino bem e minimize os problemas.

O que eu sempre falo: você não escolhe ficar doente, você não escolhe ter uma lesão, você não escolhe ter que fazer uma cirurgia. Isso acontece. O que precisamos é entender que quando cuidamos da nossa saúde estamos mais fortes para passar por essas etapas.

É doído? Sim. Parece injusto ser o escolhido? Sim. É ingrata a rapidez do retrocesso? Sim. Mas tudo isso faz parte do processo e, quando cuidamos da nossa saúde, estamos mais preparados para superar um problema. Temos que tirar proveito da situação e entender o que nosso corpo está querendo dizer com tudo isso.

Você precisa de pessoas e profissionais ao seu lado que te ajudem. Ninguém é capaz de se tratar sozinho. Eu sou educadora física e percebo isso quando estou treinando, na posição de aluna.

Temos que voltar uma casa para trás, observar e entender que precisamos de outros profissionais para mostrar o que temos de melhorar, apontar nossos erros e caminhar junto conosco para nos apoiar e fazer com que melhoremos.

Uma lesão ou algum processo simples pode virar um problemão quando tentamos nos autodiagnosticar. Tomar um antiinflamatório, um relaxante muscular, um analgésico pode ser uma estratégia imediata, mas não efetiva, pois é necessário detectar o problema em vez de aliviar o sintoma.

Então, a primeira etapa é se acalmar, entender que é um processo, entender que se cuidou e agora está forte para passar por essa dificuldade. Procurar um profissional e entender que não pode se tratar sozinho.

Visto isso, durante a lesão ou doença tambem é a hora de procurar pessoas legais para estar com você, amigos que podem te ouvir –se necessário, até um terapeuta — e pessoas que te coloquem pra cima. Nada de ficar se apoiando no problema e intensificando um obstáculo que pode ser ultrapassado.

Essa não é a hora de deixar nossa estima cair. É claro que, quando descobrimos alguma patologia mais séria, temos o direito de passar pela fase de "luto". Entender que você precisa compreender tudo o que está acontecendo, digerir e erguer a cabeça para tudo correr bem.

Pode ter certeza que se você for levando tudo para o fundo do poço, vai chegar uma hora que será muito difícil se motivar e sair dessa. Por isso é essencial que pense positivo. Sei que muita gente que está lendo o texto pode achar que é balela a energia positiva.

Em 1978, a NASA com o Engenheiro Paul Hild foi a Uberaba (MG) e constatou que a aura de Chico Xavier tinha mais de 10 metros (estudo "Investigating the Fit and Accuracy of Alleged Mediumistic Writing: A Case Study of Chico Xavier's Letters"). A nossa aura tem apenas alguns centímetros. Sim! Ele tinha uma aura de 10 metros. A aura é nosso campo energético e ele é influenciado diretamente pelos nossos sentimentos e, se permitirmos, pelo sentimento das pessoas com que convivemos. Por esse motivo, pensar de forma positiva é o ponto chave para ficarmos bem.

Outro ponto é que, quando estamos desmotivados e pensando em fatores negativos, temos mais tempo para jogar todo o sentimento no que nos gera satisfação. Para alguns, isso significa comer demais, desejar chocolate, refrigerante, pipoca e brigadeiro. É uma estratégia de fuga.

E você? Tenta se justificar o tempo todo? "Estou triste, chateado, machucado, doente e posso comer o que quiser!" Não cometa esse erro. Seu corpo está precisando de mais cuidado e atenção do que nunca. Agora é hora de se observar com carinho, entender a razão pela qual ele está querendo "chamar a atenção".

Se você não pode se exercitar, mude o foco. Pense: "Agora minha dieta precisa ser a melhor e devo segui-la à risca. Preciso cuidar da minha saúde para me recuperar logo e, quando eu voltar, tudo será mais rápido e mais fácil."

Quando você voltar a luta contra a balança será menor. Você terá que fazer apenas a readaptação ao exercício, mas sua memória muscular estará lá, firme e forte, e a dieta que seguiu durante a fase de repouso te ajudará com os resultados.

A lesão e a patologia podem ser prevenidas, mas às vezes acontecem. Quando uma delas ocorrer, repito, você deve respeitar o processo. É triste? Sim. Mas não é o fim de tudo o que conquistou. Tudo vai depender do seu foco, da sua determinação e de não desistir, respeitando sempre as fases do tratamento!

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.