menu
Topo
Paola Machado

Paola Machado

Categorias

Histórico

6 dicas para você correr com seu cachorro sem prejudicar a saúde do pet

Paola Machado

02/12/2018 04h00

Crédito: iStock

Se você anda desmotivado para praticar exercícios, criar o compromisso de sair para caminhar ou correr com seu cachorro é uma ótima maneira de acabar com o sedentarismo. Além de fortalecer a relação com "seu melhor amigo", isso vai ser ótimo e garantir inúmeros benefícios a vocês dois. Assim como nós, os cachorros precisam fazer atividades físicas para ter uma vida mais saudável e manter o peso sob controle.

Mas para correr com o pet não basta amarrar o tênis, a coleira e sair por aí. É muito importante tomar cuidados para não criar problemas ao seu companheiro de quatro patas. Explico alguns deles a seguir, com a ajuda da médica veterinária Gilberta Alves.

Consulte o veterinário 

Nem todos os cães "nasceram para correr". Eu tenho uma cachorrinha muito pequenininha, a Migalha (uma chihuahua de 1,8 kg), que um dog walker levava para passar todos os dias junto com um cachorro de grande porte. Os dois cães faziam sempre a mesma distância e sabe o que aconteceu? Ela lesionou o fêmur e teve que passar por uma cirurgia. Assim como nós, os animais têm suas limitações e a carga de exercício precisa ser individualiza. E um veterinário e o profissional mais indicado para dizer a modalidade e a quantidade ideal de atividade física para seu cachorro.

Raças com focinhos curtos (como pug e bulldog), muito grandes ou animais com excesso de peso não são adequados para correr longas distância. Também é preciso tomar cuidado com filhotes. Como o corpo deles ainda não está totalmente formado, não é indicado que corram –estou falando de um treino contínuo e prolongado e não correr para brincar no quintal ou no parque, ok?

Comece devagar

Após a liberação do veterinário, inicie o exercício gradualmente. Você pode até estar condicionado para fazer 5 km ou 10 km, mas seu cachorro ainda não. É importante o pet passar por uma fase de adaptação. No começo, alterne períodos curtos (2 ou 3 minutos) de corrida e caminhada. Aí, aumente esse intervalo de tempo aos poucos, conforme sente que o condicionamento e resistência do seu cachorro está melhorando, até ele conseguir correr 20 ou 30 minutos sem parar.

Cabe sempre a nós ter a certeza de que o cachorro estão bem. Uma coisa que você deve saber é que os cães são animais que querem agradar as pessoas. Se você continuar correndo, seu pet vai fazer um grande esforço para acompanhá-lo, mesmo que esteja sofrendo. Por isso, tenha bom senso quanto ao momento de parar e preste atenção para não prejudicar seu cachorro. Lembre-se que animais também estão suscetíveis a fadiga, fraturas por estresse, desidratação e insolação.

Fique de olho no clima

Correr em um dia quente é muito desconfortável para o animal, pois seu corpo pode superaquecer rapidamente. Assim como nós, a principal forma dos cães resfriarem o organismo é pela respiração e suor, porém eles transpiram apenas em poucos lugares do corpo (patas e focinho) e a manutenção da temperatura do corpo não é tão eficiente quanto a do corpo humano.

Além disso, lembre-se que você usa tênis e o pet, não. O asfalto ou concreto emana calor e, se estiver muito quente, vai queimar as patas (coxins/almofadinhas) do bicho –que, ao contrário do que muitos pensam, são sensíveis. Uma dica é antes de sair para correr você colocar a palma da mão no asfalto. Se conseguir suportar por 30 segundos, seu cão também conseguirá.

Para evitar problemas, prefira treinar com seu cachorro bem cedinho ou à noite. Vai ser mais agradável para os dois. Quando for correr no escuro, coloque alguns refletivos no seu corpo e no do cachorro, para que os motoristas possam ver melhor vocês.

Proteja as patas do seu cachorro

Além da temperatura, é necessário levar em consideração as superfícies em que o cão vai pisar. O concreto pode estressar as articulações e irritar as patas do cachorro. Já correr no cascalho pode acabar as perfurando.

As apostas mais seguras são trilhas de terra, grama ou areia. Esses terrenos são macios e reduzem o impacto da corrida. Além disso, no piso fofo é necessário fazer mais força para se movimentar e a corrida fica ainda mais intensa –o que é ótimo para turbinar o condicionamento e queimar mais calorias. Antes e durante o exercício, sempre observe se na pata do seu cão há queimaduras ou cortes; se sim, pare imediatamente.

Observe a exaustão do cão

Quando ele começar a ficar muito para trás, buscar sombras ou tentar parar e se deitar, é hora de interromper o exercício e descansar. Respiração ofegante ou ruidosa por um tempo prologando depois da corrida e desorientação são sinais de alerta e você deve procurar ajuda de um veterinário.

Se no dia seguinte ao treino o cão estiver extremamente cansado, significa que provavelmente a atividade física foi muito longa ou intensa (você correu rápido demais). Desacelere e não vá tão distante na próxima.

Lembre-se que seu cachorro precisa se hidratar

Se no local que for correr não tiver um bebedouro para animais, leve um potinho portátil para dar água ao seu cão durante o treino. A hidratação do animal pode ocorrer no mesmo momento que a sua ou quando o pet dá sinais de que precisar parar para descansar.

Tome todos esses cuidados e tenha bons treinos com seu novo companheiro de corrida!

 *Com colaboração da Dra. Gilberta Alves, médica veterinária (CRMV-SP 16.066)

 

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.