menu

Topo
Paola Machado

Paola Machado

Categorias

Histórico

O que comer para manter as bactérias do seu intestino saudáveis?

Paola Machado

05/02/2019 04h00

Crédito: iStock

Você sabia que existem mais de 100 trilhões de bactérias que habitam o nosso trato digestório? Esse número ultrapassa em 10 vezes de células do nosso corpo. E a maior parte das bactérias se localizam no intestino grosso (cólon).

Esta numerosa quantidade de bactérias que residem no intestino apresenta muitas funções importantes na saúde humana, conheça algumas delas:

  • Inibir infecções por bactérias patogênicas no intestino;
  • Garantir a integridade das células intestinais e a absorção adequada de nutrientes;
  • Proteger contra o extravasamento de substâncias não desejáveis para a circulação sanguínea –permeabilidade intestinal aumentada;
  • Garantir a produção de substâncias importantes e que exercem função reguladora, por meio da fermentação das fibras alimentares;
  • Regular o sistema imunológico que se encontra associado ao intestino;
  • Prevenir doenças crônicas, alergias e infecções;

De fato, estas são algumas das principais funções exercidas pelas bactérias que vivem em nosso intestino. Entretanto, nem sempre elas exercem efeitos positivos. Quando encontram-se em estado de desequilíbrio, ou seja, quando algumas espécies predominam sobre outras, diversas consequências podem ocorrer na saúde humana.

Qual a relação da microbiota intestinal com a saúde humana?

Já foram associados a alterações de microbiota intestinal alterações metabólicas como resistência à insulina, alterações de colesterol no sangue, processo inflamatório, obesidade, diabetes, autoimunidade e até mesmo acúmulo de gordura no fígado.

E o que pode alterar a microbiota intestinal?

Diversos fatores já foram relacionados a alterações na microbiota intestinal, como consumo excessivo de açúcar, gorduras, baixo consumo de fibras, consumo excessivo de proteínas, mastigação inadequada e baixa produção de ácido clorídrico.

Como manter uma microbiota saudável?

Se você quer manter sua microbiota saudável, veja algumas dicas importantes para sua alimentação no dia a dia.

  • Consuma em todas as refeições frutas, verduras e legumes;
  • Mastigue adequadamente e lentamente os alimentos;
  • Evite ingerir líquidos nas refeições;
  • Evite o consumo de açúcar de adição e produtos industrializados que o contenham em sua composição;
  • Adicione fontes de fibras em suas refeições, como grãos integrais, sementes e farelos;
  • Adicione fontes alimentares de fibras prebióticas, como biomassa de banana verde e batata yacon.
  • A utilização de suplementos de probióticos pode ser consideradas e adotadas na prática clinica, mas consulte seu médico ou nutricionista;
  • Evite o consumo frequente de produtos industrializados;
  • Evite as bebidas açucaradas, como refrigerantes e sucos artificiais;
  • Evite o consumo de gordura aparente da carne, bacon, linguiça, salame e frios de maneira geral.

*Colaboração da nutricionista Dra. Deborah Masquio (UNIFESP).

Referências:
– Tang WH, Kitai T, Hazen SL. Gut Microbiota in Cardiovascular Health and Disease. Circ Res. 2017 Mar 31;120(7):1183-1196. doi: 10.1161/CIRCRESAHA.117.309715.
– Adak A, Khan MR. An insight into gut microbiota and its functionalities. Cell  Mol Life Sci. 2019 Feb;76(3):473-493. doi: 10.1007/s00018-018-2943-4.
– Parkar SG, Kalsbeek A, Cheeseman JF. Potential Role for the Gut Microbiota in  Modulating Host Circadian Rhythms and Metabolic Health. Microorganisms. 2019 Jan 31;7(2). pii: E41. doi: 10.3390/microorganisms7020041.
– Jia Q, Xie Y, Lu C, Zhang A, Lu Y, Lv S, Zhang J. Endocrine organs of cardiovascular diseases: Gut microbiota. J Cell Mol Med. 2019 Jan 27. doi: 10.1111/jcmm.14164.
– Ding Y, Yanagi K, Cheng C, Alaniz RC, Lee K, Jayaraman A. Interactions between gut microbiota and non-alcoholic liver disease: The role of microbiota-derived metabolites. Pharmacol Res. 2019 Jan 17;141:521-529. doi:10.1016/j.phrs.2019.01.029.
– Vivarelli S, Salemi R, Candido S, Falzone L, Santagati M, Stefani S, Torino F, Banna GL, Tonini G, Libra M. Gut Microbiota and Cancer: From Pathogenesis to Therapy. Cancers (Basel). 2019 Jan 3;11(1). pii: E38. doi:10.3390/cancers11010038.
– Danneskiold-Samsøe NB, Dias de Freitas Queiroz Barros H, Santos R, Bicas JL, Cazarin CBB, Madsen L, Kristiansen K, Pastore GM, Brix S, Maróstica Júnior MR. Interplay between food and gut microbiota in health and disease. Food Res Int. 2019 Jan;115:23-31. doi: 10.1016/j.foodres.2018.07.043.
– Maguire M, Maguire G. Gut dysbiosis, leaky gut, and intestinal epitelial proliferation in neurological disorders: towards the development of a new therapeutic using amino acids, prebiotics, probiotics, and postbiotics. Ver Neurosci. 2019 Jan 28;30(2):179-201. doi: 10.1515/revneuro-2018-0024. 

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.