Topo
Paola Machado

Paola Machado

Categorias

Histórico

O que são probióticos e quais os benefícios deles para o organismo?

Paola Machado

12/02/2019 04h00

Crédito: iStock

Várias pesquisas demonstram que a alteração na microbiota intestinal está relacionada ao desenvolvimento de diversas doenças e a um processo inflamatório crônico, considerado a base fisiopatológica para muitos problemas.

Conhecida como "Sibo", a alteração na microbiota intestinal pode ser caracterizada por alteração na quantidade de determinados tipos de bactérias, na predominância de determinadas espécies em detrimento de outras e até mesmo no supercrescimento bacteriano do intestino delgado. Em condições normais, a concentração de bactérias no intestino delgado é muito inferior e é no intestino grosso (cólon) onde mais estão presentes as bactérias intestinais. No entanto, em situações de "Sibo", ocorre um aumento de bactérias no intestino delgado.

Independentemente do tipo de alteração, a disbiose intestinal –termo utilizado para denominar estas alterações nas bactérias intestinais — promove alteração na estrutura das células intestinais, promovendo aumento de permeabilidade do intestino (Leaky gut), o que potencializa a passagem de substâncias pela barreira intestinal, alcançando o sistema imunológico, a circulação sanguínea e diversos outros órgãos do nosso corpo. As consequências oriundas desta permeabilidade intestinal aumentada incluem hiperativação do sistema imune, inflamação e resistência à insulina.

Assim, devido à elevada importância que as bactérias intestinais desempenham na saúde e na doença, os suplementos de probióticos têm sido amplamente utilizado como adjuvantes no controle, prevenção e tratamento de diversas doenças.

O que são probióticos?

Segundo a Anvisa, os probióticos são os microrganismos vivos capazes de melhorar o equilíbrio microbiano intestinal, produzindo efeitos benéficos à saúde do indivíduo. Entre os probióticos mais comuns estão as cepas de Lactobacilos e Bifidobactérias.

Para que servem os probióticos?

A utilização de probióticos estimula a multiplicação de bactérias benéficas, em detrimento à proliferação de bactérias prejudiciais, o que favorece os mecanismos naturais de defesa do ser humano.

O consumo de probióticos promove competição com bactérias potencialmente patogênicas e estímulos positivos ao sistema imunológico, resultando em um aumento da resistência contra patógenos. Além disso, fragmentos das bactérias estimulam diversos receptores de células intestinais, promovendo a integridade das células que compõem o epitélio intestinal e uma boa resposta do sistema imunológico.

Benefícios já demonstrados com o uso de probióticos

Já existem diversos estudos científicos de revisão sistemática que revelam os diversos benefícios obtidos a partir da suplementação com probióticos, entre eles estão:

  • Redução de estresse oxidativo e aumento da capacidade antioxidante em adultos;
  • Redução de resistência à insulina em gestantes com diabetes mellitus gestacional;
  • Controle dos sintomas de colite ulcerativa;
  • Redução de dermatite atópica em crianças após suplementação no período pré-natal e pós-natal;
  • Redução de enzimas hepáticas, triglicérides e colesterol em pacientes com esteatose hepática não alcoólica;
  • Redução no risco de infecções agudas;
  • Redução de dores abdominais em crianças constipadas;
  • Redução do processo inflamatório na síndrome da fadiga crônica;
  • Controle de dislipidemias e hipertensão arterial em pacientes com diabetes do tipo 2;
  • Controle das dislipidemias –colesterol total e HDL;
  • Redução de processo inflamatório;
  • Redução da constipação em adultos;
  • Redução de glicemia e hemoglobina glicada em pacientes com diabetes mellitus;
  • Prevenção de enterocolite necrosante e redução de mortalidade em bebes prematuros;
  • Redução de diarreia causada por rotavírus em crianças.

O que fala a Organização Mundial de Gastroenterologia?

Um recente documento da Organização Mundial de Gastroenterologia traça algumas diretrizes sobre o uso e benefícios dos probióticos. Perante esta sociedade, as aplicações clínicas reconhecidas pelo uso de probióticos incluem:

  • Redução da severidade e a duração da diarreia infecciosa;
  • Prevenção da diarreia aguda e associada ao uso de antibióticos;
  • Fortalecimento do sistema imune;
  • Duração maior da remissão da colite ulcerativa;
  • Alívio da distensão abdominal e flatulência na síndrome do intestino irritável;
  • Redução de cólicas em bebês;
  • Melhoria na digestão e absorção da lactose;
  • Redução de enterocolite necrosante em prematuros.

Quais espécies e cepas devem ser usadas como probióticos?

As recomendações para o uso de probióticos, especialmente na prática clínica, devem considerar as cepas específicas com os benefícios declarados a partir de estudos em seres humanos. Nas diversas revisões sistemáticas apresentadas como referência neste texto, observou-se o uso de múltiplas cepas. Portanto, consulte um médico e nutricionista para que possam orientá-lo adequadamente sobre a utilização de probióticos.

*Colaboração da nutricionista Dra. Deborah Masquio (UNIFESP)

Referências:
– ANVISA. RESOLUÇÃO-RDC ANVISA Nº 2, DE 7 DE JANEIRO DE 2002 (*) (Publicação no D.O.U. de 09/01/02 e Republicação no D.O.U. de 17/07/02). Disponível em: https://www.ibama.gov.br/sophia/cnia/legislacao/AGENCIAS/ANVISA/RS0002-070102.PDF
– Organização Mundial de Gastroenterologia. Diretrizes Mundiais para uso de Probióticos e prebióticos. 2017. Disponível em: http://www.worldgastroenterology.org/UserFiles/file/guidelines/probiotics-and-prebiotics-portuguese-2017.pdf
– Ahmadi E, Alizadeh-Navaei R, Rezai MS. Efficacy of probiotic use in acute rotavirus diarrhea in children: A systematic review and meta-analysis. Caspian J Intern Med. 2015 Fall;6(4):187-95.
– Baucells BJ, Mercadal Hally M, Álvarez Sánchez AT, Figueras Aloy J. [Probiotic associations in the prevention of necrotising enterocolitis and the reduction of late-onset sepsis and neonatal mortality in preterm infants under 1,500g: A systematic review]. An Pediatr (Barc). 2016 Nov;85(5):247-255. doi:10.1016/j.anpedi.2015.07.038.
– Akbari V, Hendijani F. Effects of probiotic supplementation in patients with type 2 diabetes: systematic review and meta-analysis. Nutr Rev. 2016Dec;74(12):774-784.
– Miller LE, Ouwehand AC, Ibarra A. Effects of probiotic-containing products on stool frequency and intestinal transit in constipated adults: systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Ann Gastroenterol.2017;30(6):629-639. doi: 10.20524/aog.2017.0192.
– Mazidi M, Rezaie P, Ferns GA, Vatanparast H. Impact of Probiotic Administration on Serum C-Reactive Protein Concentrations: Systematic Review and Meta-Analysis of Randomized Control Trials. Nutrients. 2017 Jan 3;9(1). pii: E20.doi: 10.3390/nu9010020.
– Wu Y, Zhang Q, Ren Y, Ruan Z. Effect of probiotic Lactobacillus on lipid profile: A systematic review and meta-analysis of randomized, controlled trials. PLoS One. 2017 Jun 8;12(6):e0178868. doi: 10.1371/journal.pone.0178868.
– Hendijani F, Akbari V. Probiotic supplementation for management of cardiovascular risk factors in adults with type II diabetes: A systematic review and meta-analysis. Clin Nutr. 2018 Apr;37(2):532-541. doi:10.1016/j.clnu.2017.02.015. Epub 2017 Feb 24. PubMed PMID: 28318686.
– Roman P, Carrillo-Trabalón F, Sánchez-Labraca N, Cañadas F, Estévez AF, Cardona D. Are probiotic treatments useful on fibromyalgia syndrome or chronic fatigue syndrome patients? A systematic review. Benef Microbes. 2018 Jun15;9(4):603-611. doi: 10.3920/BM2017.0125.
– Jin L, Deng L, Wu W, Wang Z, Shao W, Liu J. Systematic review and meta-analysis of the effect of probiotic supplementation on functional constipation in children. Medicine (Baltimore). 2018 Sep;97(39):e1 2174. doi: 10.1097/MD.0000000000012174.
– Loman BR, Hernández-Saavedra D, An R, Rector RS. Prebiotic and probiotic treatment of nonalcoholic fatty liver disease: a systematic review and meta-analysis. Nutr Rev. 2018 Nov 1;76(11):822-839. doi: 10.1093/nutrit/nuy031.
– King S, Tancredi D, Lenoir-Wijnkoop I, Gould K, Vann H, Connors G, Sanders ME, Linder JA, Shane AL, Merenstein D. Does probiotic consumption reduce antibiotic utilization for common acute infections? A systematic review and meta-analysis. Eur J Public Health. 2018 Sep 14. doi: 10.1093/eurpub/cky185.
– Saad SM. Probióticos e prebióticos: o estado da arte. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences vol. 42, n. 1, jan./mar., 2006.
Maldonado Galdeano C, Cazorla SI, Lemme Dumit JM, Vélez E, Perdigón G. Beneficial Effects of Probiotic Consumption on the Immune System. Ann Nutr Metab. 2019 Jan 23;74(2):115-124. doi: 10.1159/000496426.
– Zamani B, Sheikhi A, Namazi N, Larijani B, Azadbakht L. The Effects of Supplementation with Probiotic on Biomarkers of Oxidative Stress in Adult Subjects: a Systematic Review and Meta-analysis of Randomized Trials. Probiotics Antimicrob Proteins. 2019 Jan 21. doi: 10.1007/s12602-018-9500-1.
– Pan J, Pan Q, Chen Y, Zhang H, Zheng X. Efficacy of probiotic supplement for gestational diabetes mellitus: a systematic review and meta-analysis. J Matern Fetal Neonatal Med. 2019 Jan;32(2):317-323. doi: 10.1080/14767058.2017.1376318.
– Sohail G, Xu X, Christman MC, Tompkins TA. Probiotic Medilac-S(®) for the induction of clinical remission in a Chinese population with ulcerative colitis: A systematic review and meta-analysis. World J Clin Cases. 2018 Dec 6;6(15):961-984. doi: 10.12998/wjcc.v6.i15.961.
– Li L, Han Z, Niu X, Zhang G, Jia Y, Zhang S, He C. Probiotic Supplementation for Prevention of Atopic Dermatitis in Infants and Children: A Systematic Review and Meta-analysis. Am J Clin Dermatol. 2018 Nov 21. doi:10.1007/s40257-018-0404-3.

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.