Topo
Paola Machado

Paola Machado

Categorias

Histórico

Carioca queria emagrecer comendo feijoada; mas vou botá-lo na linha

Paola Machado

03/04/2019 04h00

Márvio Lúcio, o Carioca, chegou aos 100 kg e está encarando um programa de emagrecimento orientado por Paola Machado | Arquivo pessoal

Já faz algum tempo que os 100 kg do Márvio Lúcio (o Carioca) me incomodam, por todos os problemas de saúde que o excesso de peso pode trazer. Mas a gota d'água para eu resolver esse situação foi quando meu marido decidiu mudar sua alimentação e criou um cardápio semanal para todos da casa.

Acho que seu objetivo era ser saúdavel e emagrecer, mas imagine tudo de mais gostoso e calórico distribuído em almoço e jantar de uma semana normal… Filé à milanesa com arroz e purê de batatas; talharim com salsichas; e feijoada TODA QUARTA-FEIRA. Sim, era isso que estava escrito na folha que Márvio imprimiu para nossa cozinheira, como você pode ver mais abaixo.

Meu Deus! Quase desmaiei! Nesse dia, percebi o quanto meu marido estava cego na sua alimentação, quanto ele estava perdido, mesmo com todas minhas orientações.

Como o ditado diz: "Casa de ferreiro o espeto é de pau!" Sou casada há 13 anos e, quando casamos, Márvio tinha cerca de 90 kg e 1,81 metros. Já estava com IMC de sobrepeso, mas,  comparado aos seus 100 kg de hoje, estava bem melhor.

Apesar de estudos mostrarem que a relação estável pode levar ao aumento de peso — principalmente por conta de uma "rotina obesogênia", incluindo o comer em todo momento e por qualquer coisa –, eu sempre fui uma pessoa muito empenhada e dedicada na minha alimentação, independentemente das escolhas dele. Sempre alertei aos seus prazeres alimentares constantes, mantendo minha rotina mesmo quando ele pedia lasanha nas noites de quarta-feira.

Márvio tinha 90 kg antes do casamento

Em dezembro de 2014, ele parou de fumar e começou um processo de engordar desenfreadamente até atingir o peso atual. O cigarro é um vício, uma compulsão, e nosso organismo trabalha com substituições; a de Márvio foi comer.

Trabalho com obesidade desde 2006 e é muito difícil quando a pessoa que está com você não enxerga suas escolhas e acha que é "implicância" quando estamos sinalizando alguma coisa. Quantas vezes questionei:

– "Amor, precisa disso tudo de comida?"

– "Você vai comer tudo isso nesse horário?"

– "Coma devagar".

– "Mas você acabou de jantar, pra que comer esses salgadinhos?"

Eu durmo mais cedo que ele. Percebi que dia após dia ele insistia para que eu deitasse na cama. Um dia, pensei: "Vou ver o que está acontecendo". Logo que deitei, ouvi um barulho de saquinho na sala. Era quase uma da manhã. Cheguei e ele estava comendo escondido um pacotinho de batata. Quando me viu, lançou o pacotinho para o outro lado –para que eu não visse –, mas caiu tudo pela sala. Eu já sabia, porque ele escondia todos os saquinhos pela casa e tinha notado o quanto ele não estava enxergando as escolhas. E questionei: "Você está escondendo de quem? De você mesmo!"

A mudança

Além do cardápio que me levou à loucura, outra coisa que motivou Márvio a mudar de estilo de vida foi perceber que estava com pouco mais de 100 kg. Ele ficou desesperado. Aproveitei a deixa e mostrei a foto principal desse texto, foi aí que Márvio caiu na real.

No dia 18/03/2019, ele iniciou um trabalho na minha clínica 12 semanas com uma equipe multiprofissional —o mesmo trabalho que foi realizado com o Rafael no VivaBem — e já estamos colhendo alguns frutos mediante a pequenas escolhas:

  • Inclusão de treinos de musculação quatro vezes na semana.
  • Inclusão de HIIT duas vezes por semana, após o treino resistido de membros superiores.
  • Orientações pelo grupo de uma equipe de profissionais com incentivo e motivação.
  • Inclusão de desafios que são acumulativos — semana 0 ele tinha um tempo para realizar cada refeição; semana 1 tinha que subir escadas; semana 2 tinha de enviar fotos de todas refeições para analisarmos juntos em grupo.
  • Trabalho com escala de fome.

O projeto para emagrecer meu marido

Plano alimentar, pela nutricionista comportamental dra. Samantha Rhein

"O comer certamente está inserido num contexto amplo de preferências, aversões, cotidiano, possibilidades, e com o Márvio não foi diferente. Dentro de um dia a dia de muitas viagens e compromissos atribulados, fica difícil estabelecer uma rotina alimentar. Ele possui uma relação de afeto e memórias emocionais bastante fortes com o alimento, é apreciador de uma boa gastronomia e, considerando estes aspectos juntamente a algumas questões de saúde (gastrite, digestão, sono e impulsividade alimentar), faremos adaptações necessárias para promover um emagrecimento possível e sustentável. A partir desta realidade, trabalharemos ao longo das 12 semanas a construção de uma relação sólida e consciente com o alimento, associada à prática de um padrão frequente de refeições e quantidades especialmente determinadas para a sua necessidade. Temos como expectativa o emagrecimento de 0,850 kg por semana e o desenvolvimento de uma autonomia para conduzir as escolhas alimentares durante as suas temporadas".

Plano esportivo, pelo prof. Dr. Leandro Fernandes

"Na primeira consulta da consultoria esportiva, o Márvio apresentou uma excelente abertura para fazer o que fosse mais adequado para atingir seus objetivos.  Ele relatou suas principais dificuldades e por meio da avaliação física também identificamos seus principais pontos fortes e fracos. Apresentou  excelente estabilização do abdômen. Tendo em vista esses achados e nossa conversa, sugeri um treino mais metabólico, envolvendo grandes grupamentos musculares e predominantemente multiarticulares. A característica do treino é de curta duração e intensidade média, manipulando as variáveis de forma que se torne o mais dinâmico possível.  As expectativas com o Márvio são as melhores, ele se mostrou muito engajado e disposto a novos desafios. Não tenho dúvidas de que o tratamento interdisciplinar transformará a ideia de como lidar com sua saúde daqui para frente."

Termografia inicial analisada pelo neurologista Dr. Leonardo Lo Duca

Algumas alterações iniciais encontradas no exame de imagem.

Hiper radiação em primeiro dedo de mãos indica comprometimento em território radicular da raiz cervical de C6. As atividades propostas pelo Prof. Leandro Fernandes devem evitar carga axial e desenvolvimento muscular em cintura escapular.

Pontos de disfunção miofascial encontrados em cadeia muscular de ombro esquerdo, assim como em região lombar (pontos assinalados na figura). As atividades físicas devem focar no fortalecimento dessas regiões, evitando carga excessiva. Existe um comprometimento em trilho anatômico à direita, devendo ser realizada uma desprogramação dessa região e uma reprogramação contralateral.

Os pontos assinalados nessa figura revelam tendinopatia em tendão de músculo reto femoral bilateralmente. Atividades de extensão da coxa devem ser realizadas com cuidado para evitar a sobrecarga tendínea.

E como o Carioca, Márvio Lúcio, vê tudo isso?

"Eu simplesmente cheguei no fundo do poço. Estava me sentindo pesado, gordo, comendo sem parar e sem pensar.  Tudo era motivo para comer qualquer bobagem. E, em casa, a Paola atazanando a minha vida, todo dia 'enchendo o meu saco', questionando minha saúde e pedindo exames para ver como eu estava; não deu outra! Tudo alterado. Tivemos uma conversa bem séria sobre minha saúde e resolvi mudar. Topei o desafio da clínica 12 semanas e o mais engraçado é quando você começa, pega gosto e não quer mais parar. Quando sou desafiado, funciono muito melhor, ainda mais tendo que me reportar diariamente para uma equipe. Me senti desafiado. Estou nas minhas duas primeiras semanas e me sentindo muito melhor e mais disposto.

Para ter uma ideia, com mudanças simples e sem passar fome –e, sim, conter meus impulsos e vontades –, perdi 2 quilos e assim vamos. Dentro do estipulado pela equipe!

Estou feliz, me sentindo melhor, com a estima alta, não sinto mais o peso de comer demais e sem estar com fome, pois o cardápio e treino são personalizados e direcionados para mim.

Estou feliz, motivado e quero chegar aos 87 quilos em 12 semanas. Essa é minha meta!"

E aí? Será que no final conseguiremos tirar a mesma foto correndo na mesma praia só que com alguns quilinhos a menos?!

Referências:

– Natalie The; et al. Entry Into Romantic Partnership Is Associated With Obesity. Obesity 17(7):1441-7 · May 2009.

– Arthur Kaufman. Alimento e emoção. ComCiência.

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.