Topo
Paola Machado

Paola Machado

Categorias

Histórico

Conheça as 5 principais causas de cãibras e como evitar o problema

Paola Machado

11/04/2019 04h00

Crédito: iStock

Quase todo mundo já sofreu com as cãibras musculares durante ou após uma sessão de exercícios intensos ou prolongados.

As cãibras musculares são contrações súbitas ou espasmos involuntários, que ocorrem durante ou após uma atividade física intensa, habitualmente nos músculos específicos exercitados. Essas contrações são frequentemente intensas e dolorosas. Os músculos comumente afetados incluem a panturrilha, o posterior de coxa e o quadríceps, mas essas cãibras podem acontecer em qualquer músculo do seu corpo.

A dor intensa de uma cãibra pode acordá-lo durante a noite ou dificultar a caminhada, por exemplo. O sintoma mais comum da cãibra é uma dor intensa e aguda, com duração de alguns segundos a 15 minutos. No entanto, em alguns casos, um nódulo protuberante de tecido muscular sob a pele também pode acompanhar uma cãibra.

O que causa cãibras musculares?

As cãibras musculares têm várias causas. De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Cape Town (África do Sul), há algumas teorias, como a metabólica, a da desidratação, eletrolítica, ambiental e neurológica. Abaixo coloco algumas causas.

– Cãibras induzidas pelo calor A temperatura central tende a se manter dentro da variação normal. Um desequilíbrio no nível dos líquidos corporais e nas concentrações eletrolíticas desencadeia esse tipo de cãibra, sendo que o indivíduo costuma ter alta taxa de transpiração e/ou altas concentrações de sódio no suor. As cãibras induzidas pelo calor não ocorrem necessariamente com uma elevação de temperatura corporal. Se detectada essa causa, é necessário proporcionar uma oferta de água com sódio e eletrólitos e aumentar a ingestão diária de sal nos dias de estresse térmico. A transpiração excessiva desencadeia na perda de eletrólitos durante a exposição prolongada ao calor. Se esses minerais não forem repostos, podem ocorrer dores e espasmos musculares, de forma mais comum no abdome e extremidades. Por isso, é essencial a ingestão de água e aumento da ingestão de sódio em dias que precedem o estresse térmico, ou seja, exposição extrema ao calor com exercícios intensos e exaustivos.

– Desidratação e depleção de eletrólitos/desequilíbrio eletrolítico A desidratação por meio da perda excessiva ou desequilíbrio de fluidos no corpo e precariedade na hidratação pode levar a cãibras. O desequilíbrio eletrolítico, por níveis muito baixos de cálcio, potássio, sódio e magnésio; pode levar a quadros de cãibras frequentes.

– Controle neuromuscular alterado Essa teoria propõe que a fadiga muscular induzida pelo exercício provoca aumento da atividade do fuso muscular e diminuição da atividade do órgão tendinoso de Golgi. A função anormal desse órgão, um sensor muscular, acarreta no aumento dos disparos dos motoneurônios localizados na medula espinal e, consequentemente, gera contrações musculares involuntárias; sendo que uma atividade reflexa anormal atue como fator decisivo na promoção das cãibras musculares induzidas pelo exercício.

– Problemas circulatórios Um baixo suprimento de sangue para membros inferiores pode causar cãibras nessas áreas quando você se exercita, caminha ou participa de atividades físicas. Nos mais idosos, o estreitamento das artérias que irrigam os membros inferiores, causado por placas de aterosclerose, pode provocar câimbras.

– Condições médicas associadas a cãibras Algumas condições médicas podem causar cãibras musculares, sendo que essas condições incluem a artrose, que leva à perda da elasticidade dos discos que ficam entre as vértebras da coluna lombar, podendo comprimir o nervo e causar cãibras musculares nas pernas ao caminhar ou ficar em pé; alcoolismo; gravidez; falência renal; lesões; anemia; nódulos; hipotireoidismo ou baixa função da glândula tireoide.

Em alguns casos, a cãibra também pode ocorrer por motivos desconhecidos.

Como diagnosticar a cãibra?

Cãibras musculares geralmente são inofensivas e não requerem atenção médica. No entanto, você deve consultar um médico se suas cãibras forem persistentes, não melhorarem com o alongamento ou persistirem por muito tempo. Isso poderia ser um sinal de uma condição médica subjacente.

Você pode precisar de exames complementares bioquímicos para verificar os níveis de potássio e cálcio no sangue, bem como a função renal e tireoidiana; além de testes de gravidez e eletromiografia (teste que observa a atividade muscular e verifica se há anormalidades musculares) ou a mielografia (ferramenta de imagem que cria uma imagem da sua medula espinhal).

É importante avisar o médico se você está sentindo fraqueza, dor ou perda de sensibilidade. Esses sintomas podem ser sinais de um distúrbio nervoso.

Como posso prevenir cãibras musculares?

  • A primeira estratégia para evitar cãibras é aprender a respeitar o próprio corpo.
  • O alongamento é a prevenção e o tratamento para quadros de cãibras, ele deve ser feito antes e após os exercícios. O alongamento passivo alivia as cãibras musculares ao invocar o reflexo de alongamento inverso. O alongamento de um músculo ativa o órgão tendinoso de Golgi que, por sua vez, inibe os motoneurônios na medula espinal, ocasionando relaxamento muscular.
  • Aqueça antes de participar de esportes e exercícios. A falta de aquecimento pode resultar em tensão muscular e lesão.
  • Não se exercite logo após comer, principalmente alimentos pesados. Reduza a ingestão de alimentos e bebidas que contenham cafeína, como café e chocolate.
  • Muitos especialistas sugerem que a desidratação é uma das principais causas de espasmos musculares, por isso certifique-se de beber bastante líquido para evitar a desidratação. Seu corpo perde mais água quando fisicamente ativo, portanto, aumente sua ingestão de líquidos ao se exercitar. Invista em bebidas com eletrólitos e aumente sua ingestão de cálcio e potássio naturalmente bebendo leite e suco de laranja ou comendo bananas.
  • Estudos sugerem que o magnésio, o zinco e as vitaminas B, D e E podem limitar a probabilidade de ter uma cãibra muscular — ou pelo menos aliviar a dor. Inclua frutas e verduras na dieta, estes alimentos são ricos em vitaminas e sais minerais.
  • Converse com seu médico sobre tomar um suplemento vitamínico para garantir que seu corpo receba o suprimento necessário de nutrientes e minerais.

*Colaboração do fisioterapeuta da Unifesp e HCor Dr. Pedro Sasaki

Referências:
– Schewellnus, M.P. Cause exercite associated mescle carmes (EAMC) – altered neuromuscular control, dehydration or electrolyte depletion? Br J Sports Med 43: 401 – 408. 2009.
– Schewellnus, M.P.; et al. Aetiology of skeletal muscle "cramps" during exercise: a novel hypothesis. J Sports Sci 15: 277-285. 1997.
– Power, Scott L. Fisiologia do exercício: teoria e aplicação ao condicionamento e desempenho. Nona edição. Barueri, SP: Manole. 2017.
– McArdle, W.D. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano. Guanabara Koogan. 2008.
– Bergeron, M.F. Heat carmes: fluir and electrolyte challenges during tennis in the heat. J Sci Med Sport. 6: 19-27. 2007.
– Bergeron, M.F. Exertional heat carmes: recovery and return to play. K Sport Rehabil. 16:190-196. 2007.
– Levin, M. C. (n.d.). Muscle cramps merckmanuals.com/home/brain,-spinal-cord,-and-nerve-disorders/symptoms-and-diagnosis-of-brain,-spinal-cord,-and-nerve-disorders/muscle-cramps.
– Mayo Clinic Staff. (2016, February 16). Muscle cramp mayoclinic.org/diseases-conditions/muscle-cramp/home/ovc-20186047
– Wilkerson, R. (2010, May). Muscle cramp orthoinfo.aaos.org/topic.cfm?topic=A00200
– Jung, A.P., Bishop, B.A., Al-Nawwas, A., et al. Influence of Hydration and Electrolyte Supplementation on Incidence and Time to Onset of Exercise-Associated Muscle Cramps. University of North Carolina at Charlotte, Charlotte, NC. Journal of Athletic Training, 2005 Apr-Jun; 40(2): 71–75.
– El-Hennawy AS, Zaib S. A selected controlled trial of supplementary vitamin E for treatment of muscle cramps in hemodialysis patients. American journal of therapeutics, 2011, Mar.;17(5):1536-3686.
– Katzberg HD, Khan AH, So YT. Assessment: symptomatic treatment for muscle cramps (an evidence-based review): report of the therapeutics and technology assessment subcommittee of the American academy of neurology. Neurology, 2010, Mar.;74(8):1526-632X.
– Kugelmas M. Preliminary observation: oral zinc sulfate replacement is effective in treating muscle cramps in cirrhotic patients. Journal of the American College of Nutrition, 2000, Mar.;19(1):0731-5724.
– Liang, R. Role of calcium and vitamin D in the treatment of muscle pain. Journal of the Canadian Chiropractic Association, 1985 June; 29(2): 90–91.
– Schwellnus MP, Drew N, Collins M. Increased running speed and previous cramps rather than dehydration or serum sodium changes predict exercise-associated muscle cramping: a prospective cohort study in 210 Ironman triathletes. British journal of sports medicine, 2010, Dec.;45(8):1473-0480.
– Vinciguerra G, Belcaro G, Cesarone MR.Cramps and muscular pain: prevention with pycnogenol in normal subjects, venous patients, athletes, claudicants and in diabetic microangiopathy. Angiology, 2006, Jul.;57(3):0003-3197.

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.