PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Quem não gosta de massagem? Entenda por que prática faz tão bem à saúde

Paola Machado

17/12/2019 04h00

Crédito: iStock

Vivemos uma rotina cada vez mais estressante e nosso corpo está em constante tensão. Um dos mecanismos que o corpo encontra de suprimir os sentimentos e emoções e de lidar com o estresse é por meio da contração da musculatura. Caso essa situação ocorra de forma corriqueira, as contraturas tornam-se crônicas, dificultando o fluxo sanguíneo normal e acumulando toxinas, resíduos celulares e, consequentemente, gerando dor.

Geralmente, inicia-se um ciclo de tensão que gera dor, esta por sua vez gera mais tensão. Após tensões crônicas desaprendemos a relaxar e ficamos cada vez menos conscientes do quanto essa tensão repercute na nossa saúde física e mental.

A massagem terapêutica pode ser um auxiliar para reduzir o estresse e amenizar as contrações, por desencadear diversos efeitos mecânicos, analgésicos, psicológicos, térmicos e estruturais. Entenda os benefícios:

  1. O primeiro efeito a ser notado é a inibição da dor, pois a massagem, por ser um estimulo tátil, ao ter contato com a pele mobiliza tecidos e ativa fibras nervosas chamadas mecanorreceptores Ab que conduzem informações mais rápidas que as fibras nervosas da dor para o cérebro, assim gera uma inibição competitiva da dor.
  2. Em seguida, o toque da mão do terapeuta é percebido na região do cérebro próximo ao da percepção de emoção e empatia, e ativa a via afetivo-emocional que se mostra eficaz na capacidade de manejo da dor.
  3. Terceiro efeito evidente do toque da massagem é a liberação de substancias como endorfina que alivia a dor, e ocitocina, o hormônio que gera bem-estar.
  4. Além disso, observa-se a estimulação vagal, redução de cortisol, o hormônio do estresse; e efeito positivo de melhora do sistema imunológico.

Alguns estudos avaliaram os efeitos da massagem na ansiedade e depressão e observaram significativa melhora a curto prazo. Outros pesquisadores avaliaram os efeitos imediatos da massagem no relaxamento, humor deprimido, raiva e estresse, desconforto físico e emocional, bem-estar emocional e no padrão de sono.

Até mesmo em variáveis de diminuição de sinais vitais, fadiga muscular, estresse, desconforto físico e emocional, e no padrão de sono. Apesar desses estudos, ainda faltam dados comprovando a melhora da massagem na qualidade de vida a curto prazo e a longo prazo. Mas independente da comprovação científica de todos os seus benefícios. A massagem é um recurso simples, acessível e sem grandes riscos que traz diversos benefícios terapêuticos às pessoas.

*Colaboração da fisioterapeuta pela UNIFESP, Angela May e da fisioterapeuta pela UNIFESP, Renata Luri

Referências:
– Braun MB, Simonson S. Massoterapia. 2007, Barueri, São Paulo.
– Gosling AP. Mecanismos de ação e efeitos da fisioterapia no tratamento de dor. Rev Dor. São Paulo, 2013 jan-mar; 13(1): 65-70.
– Ker F, Wiechula R, Feo R, Schultz T, Kitson A. Neurophysiology of human touch and eye gaze in therapeutic relationships and healing: a scoping review. JBI Database System Rev Implement Rep, 2019; 17(2): 209-247.
– Kutner, S., Smith, M., Corbin, L., Kemphill, l., Benton, K., & Mellis, K.. Massage therapy versus simple touch to improve pain and mood in patients with advanced cancer: A randomized trial. Annals of Internal Medicine 2008, 149(6), 369-379.
– Meleis, Afaf (2012). Theoretical nursing: Development & progress. Philadelphia: Wolters Kluwer.
– Santos GJB, Severiano MIR. A importância do toque terapêutico. Fiep Bulletin, 2011; 81.
– Sui-Whi, J., Wilkie, D., Gallucci, B., Beaton, R., & Huang, H. Effects of massage on pain, mood status, relaxation, and sleep in Taiwanese patients with metastatic bone pain. A randomized clinical trial. Pain, 2011, 152(10), 2432-2442.

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.

Paola Machado