PUBLICIDADE

Topo

Estressado com a situação? Pare e respire! Saiba como isso ajuda a relaxar

Paola Machado

24/03/2020 04h00

Crédito: iStock

Estresse, ansiedade, excesso de informação. Com a situação preocupante que estamos vivendo, é comum nos deixarmos levar pela onda de emoções –e, muitas vezes, sem perceber. E parar por alguns segundos e respirar pode ser uma ótima tática para aliviar a tensão nesse momento.

A respiração é uma das funções do corpo humano controlada pelo sistema nervoso autônomo (SNA). Pesquisadores sugerem que a saúde depende da capacidade do organismo de equilibrar impulsos do SNA simpático e parassimpático. Ambos os sistemas regulam o metabolismo energético e algumas funções básicas como circulação, respiração, digestão e sexualidade.

O sistema nervoso autônomo simpático é ativado em situações de perigo, causando reações como o aumento do ritmo respiratório e contração muscular, enquanto o parassimpático é relacionado ao estado de relaxamento. Além disso, alguns estudos sugerem que o desequilíbrio do SNA pode causar uma série de doenças e disfunções como a hipertensão, fibromialgia, depressão, transtorno de ansiedade e estresse.

Diversos estudos têm investigado o papel de técnicas de respiração para a redução do estresse. Mas como controlar essa função se ela ocorre de forma involuntária?

Em primeiro lugar é importante perceber como as emoções afetam diretamente à respiração. Já reparou que em situações de medo, raiva e ansiedade encurtamos nossa respiração?

"A contenção da respiração é a forma mais eficiente que o corpo encontra de reprimir sensações e emoções"

O medo de sentir leva à contração da musculatura, o que impede que um impulso chegue à superfície. Quando essa contração se torna crônica, tanto a contenção da respiração como o seu respectivo sentimento se tornam permanentemente inconscientes.

Alguns pesquisadores relatam que a incapacidade para respirar em ritmo "normal" é um obstáculo para a saúde emocional, o caminho inverso também é válido. A quebra da cadência da respiração, o encurtamento e superficialidade do ritmo se relacionam à fadiga, irritabilidade e depressão.

Estudos sugerem que o trabalho respiratório pode levar ao restabelecimento do equilíbrio psicofisiológico do organismo e auxiliar no manejo de uma série de sintomas e transtornos gerados pelo desequilíbrio no funcionamento do SNA.

Estudos recentes com eletroencefalograma comprovam que 15 minutos de técnicas respiratórias causam a modulação no SNA, levando a uma maior capacidade de atenção e estado de relaxamento. E o melhor? Esses benefícios podem ser observados tanto por praticantes contínuos de técnicas como por quem nunca as praticou.

"Respirar é construir uma ponte entre os corpos"

A Organização Mundial de Saúde e as Políticas Públicas de Saúde no Brasil estão alinhadas em relação ao papel das práticas integrativas para promover saúde em todos os âmbitos do que se considera a saúde de uma pessoa.

Diversas práticas vêm se consolidando e destacando, sendo uma delas a ioga. Na visão da ioga, além da parte fisiológica, quando respiramos com qualidade, absorvemos Prana, do sânscrito, significa energia absoluta, presente no ar que respiramos e no alimento que ingerimos.

Ao respirar conscientemente, o Prana influencia diretamente o estado psíquico do corpo e da mente. Controlar o movimento dessa energia aumenta a vitalidade. A metáfora é: "Respirar é construir uma ponte entre o corpo físico e o sutil". Segundo a professora e coordenadora do Núcleo de Yoga La Posture, Silvana Braggio, "quem respira com qualidade tem brilho no olhar, disposição para enfrentar a o dia a dia, entusiasmo para viver a vida. Quanto mais prana, mais energia, força e vitalidade, e ao mesmo tempo, mais leveza para lidar com as emoções!".

Quem pratica ioga naturalmente entra em contato com a consciência do ritmo respiratório. Destaca-se nesse contexto a importância dos pranayamas (controle e expansão da energia vital a partir do fluxo da respiração).

Seja por meio da ioga ou de técnicas respiratórias específicas, quem pratica uma boa respiração oferece alimento de qualidade para o corpo e a mente, com diversos benefícios comprovados pela ciência para promover mais saúde e qualidade de vida.

A respiração plena quebra um padrão respiratório disfuncional emocional. Ter consciência desse processo é o primeiro passo para melhorar a função respiratória e, consequentemente, organizar a mente a lidar com as emoções e desafios diários.

*Colaboração Dra. Renata Luri, Fisioterapeuta PhD Unifesp e Silvana Braggio, professora e gestora de Yoga 

Referências:
– Barros, N. F. de et al. Yoga e promoção da saúde. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2014, vol.19, n.4 [cited 2020-02-14], pp.1305-1314. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232014000401305&lng=en&nrm=iso>. ISSN 1413-8123. https://doi.org/10.1590/1413-81232014194.01732013.
– Brasil. Ministério da Saúde (MS). Política Nacional de Promoção à Saúde. Brasília: MS; 2006. 60p. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/pactovolume7.pdf
– Bernardi MLD, Amorim MHC, Zandonade E, Santaella DF, Barbosa JAN. Efeitos da intervenção Hatha-Yoga nos níveis de estresse e ansiedade em mulheres mastectomizadas. Cien Saude Colet 2013; 18(12):3621-3632.
– Birdee GS, Legedza AT, Saper RB, Bertisch SM, Eisenberg DM, Phillips RS. Characteristics of yoga users: results of a national survey. J Gen Intern Med 2008; 23(10):1653-1658.
– Cowen VS. Functional fitness improvements after a worksite-based yoga initiative. J Body Mov Ther 2010; 14(1):50-54.
– Czeresnia D. O conceito de saúde e a diferença entre prevenção e promoção. In: Czeresnia D, Freitas CM, organizadores. Promoção da Saúde: conceitos, reflexões, tendências. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz; 2003. p. 39-53.
– Siegel P, Barros NF. Yoga e Saúde: o desafio da introdução de uma prática não-convencional no SUS . Campinas: Universidade Estadual de Campinas; 2010.
– Manocha R, Black D, Sarris J, Stough C. A randomized, controlled trial of meditation for work stress, anxiety and depressed mood in full-time workers. Evid Based Complement Alternat Med 2011; 960583.
– Marques, P e Fagali, Quadros E.A influência da respiração no processo de aprendizagem. Constr. psicopedag. [online]. 2018, vol.26, n.27, pp. 37-52. ISSN 1415-6954.
– Melville GW, Chang D, Colagiuri B, Marshall PW, Cheema BS. Fifteen minutes of chair-based yoga postures or guided meditation performed in the office can elicit a relaxation response. Evid Based Complement Alternat Med 2012; 501986.
– Muzetti de Castro C. Yoga e Doenças Crônicas: Inovações no Cuidado do Câncer e Diabetes [dissertação]. Campinas: Unicamp; 2012.
– Siegel P, Barros NF. Yoga e Promoção da Saúde, Introdução prático-conceitual. Campinas: Tipos Soluções em Documentos; 2011
– Strijk JE, Proper KI, van der Beek AJ, van Mechelen W. A worksite vitality intervention to improve older workers' lifestyle and vitality-related outcomes: results of a randomised controlled trial. J Epidemiol Community Health 2012; 66(11):1071-1078.
– Wolever RQ, Bobinet KJ, McCabe K, Mackenzie ER, Fekete E, Kusnick CA, Baime M. Effective and viable mind-body stress reduction in the workplace: a randomized controlled trial. J Occup Health Psychol 2012; 17(2):246-258.

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.