PUBLICIDADE

Topo

Como dar conta da cozinha com as crianças em casa? Mão na massa!

Paola Machado

27/03/2020 04h00

iStock

Criançada em casa, correria, mil coisas para fazer, inclusive o almoço? Agora o jeito é fazer a criançada participar.

Isto pode ser muito divertido, acredite. Para os pequenos, se familiarizar com os alimentos contribuirá com a formação sólida do hábito alimentar e para isto eles devem olhar, cheirar e manipular os alimentos. O preparo funciona como um complemento para solidificar a construção do hábito de "comer bem", sem rótulos ou qualquer restrição… Vamos assumir que para os nossos pequenos, este termo está relacionado ao comer variado, ou seja, de tudo um pouco, sem excessos ou neuroses.

Antes de convidar o seu filho para ir até a cozinha, construa um cenário lúdico com avental, touquinha (mas se não tiver em casa, reserve uma roupa para isto, como se fosse um uniforme "Mestre Cuca"), e reforce o quanto é importante a participação neste momento. Sente-se e converse claramente explicando qual deve ser a área de circulação, excluindo a passagem próxima ao fogão e qualquer outro lugar que traga perigo, afastando-o de utensílios cortantes e quentes, enfim avalie o cenário e seja muito criteriosa(o).

Para tornar este momento mais divertido, pegue os alimentos na íntegra (principalmente vegetais e frutas), sem picar ou descascar e faça uma brincadeira em que eles deverão adivinhar qual é o alimento, a sua cor interna e como podemos comer. Teste o conhecimento que o seu filho tem sobre os alimentos que estão presentes no prato para que ele se torne um adulto mais consciente e com escolhas mais adequadas.

Feito isto, leia calmamente e explique a receita, posteriormente separe os ingredientes e mostre para o seu assistente mirim, destacando as suas responsabilidades e a importância dele se tornar "aberto" a experiência. Para motivá-lo você pode ainda gravar um vídeo e compartilhar com os amigos, escrever um caderno de receitas ou desenho da preparação.

O nosso Guia Alimentar para Crianças traz inúmeras ilustrações que podem ser trabalhados com os nossos filhos, como a que observamos a seguir:

Guia alimentar.

Tome este prato como base e adicione ainda saladas para complementar e equilibrar a refeição.

Agora é mão na massa e posso te dizer que os pequenos vão adorar. Talvez você precise de um tempo a mais para realizar esta receita, então esta dinâmica não precisa acontecer diariamente.

Uma ideia: faça um calendário de novas receitas em que seus filhos poderão opinar no cardápio e até sugerir preparações que tenham vontade de experimentar. Nos demais dias, alterne com as atividades da escola, de cursos ou até jogos e massinha – é um verdadeiro desafio.

Planeje um tempo a mais para aplicar esta atividade, mas não deixe de fazer, pois o cenário que temos hoje relacionado a condição de saúde e alimentar das crianças e adolescentes reforça esta importância, já que:

  • Possuem um hábito alimentar restritivo, principalmente para os vegetais e as frutas;
  • São sedentários e têm um elevado tempo de tela diário, o que favorece o aumento nos índices de excesso de peso, obesidade e comorbidades;
  • Apresentam ideias equivocadas sobre o que significa alimentar-se bem;
  • Não apresentam curiosidade em provar diferentes alimentos;
  • Omitem o café da manhã frequentemente, refeição que comprovadamente é fundamental para o equilíbrio metabólico e da construção do hábito alimentar.

Estes são alguns dados de nosso panorama atual, portanto opte por uma postura mais educativa e interativa para revertermos, começando por dar o exemplo em casa e, na sequência, estimular o gosto e o conhecimento sobre os alimentos e o seu preparo.

Para desenvolver esta familiaridade dos pequenos com a cozinha e o preparo dos alimentos, opte por receitas simples como sucos, pães, bolos, salada de frutas e cookies, alimentos que normalmente são bem aceitos e com preparo mais simples.

Vamos tentar? Você pode se surpreender com esta experiência e certamente ficará mais próximo de seu filho; pode ter certeza que a diversão e as risadas estão garantidas.

*Colaboração da nutricionista comportamental e clínica na clínica 12 semanas Dra. Samantha Rhein (Unifesp)

Referências:
– GUIA ALIMENTAR PARA CRIANÇAS BRASILEIRAS MENORES DE 2 ANOS, Ministério da Saúde, 2019.
– PHILIPPI, Sonia Tucunduva; CRUZ, Ana Teresa Rodrigues; COLUCCI, Ana Carolina Almada. Pirâmide alimentar para crianças de 2 a 3 anos. Rev. Nutr., Campinas, v. 16, n. 1, p. 5-19,  Jan.  2003.

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.