PUBLICIDADE

Topo

Ficar muito tempo sentado aumenta queixas de dor no bumbum e no cóccix

Paola Machado

26/05/2020 04h00

iStock

A dor no cóccix, também conhecida como coccidínia, torna-se um problema mais comum em tempos de quarentena, principalmente porque os hábitos mudaram e as pessoas têm permanecido sentadas por longos períodos.

O cóccix fica no finalzinho da coluna, um pouco acima do bumbum (profundamente próximo ao ânus), e é formado por vértebras agrupadas em uma parte única.

Os sintomas e sinais da coccidínia incluem dor em pontada e sensibilidade na área do cóccix. Quem tem dor nessa região tem uma queda brusca da qualidade de vida, pois há a limitação de praticamente todas as tarefas simples do dia a dia.

A dor tende a piorar durante atividades específicas como se levantar, sentar ou quando a pessoa fica parada por um tempo em uma mesma postura. Até mesmo ir ao banheiro para evacuar ou ter relações sexuais podem se tornar atividades extremamente dolorosas.

A posição sentada já sobrecarrega naturalmente a região da pelve e da lombar. Dependendo da forma que se senta, há uma maior pressão e atrito na região. Ao ficar muito tempo sentado, em especial quando se senta em cima do cóccix, ocorre o estresse dessa região gerando a instabilidade do cóccix.

Essa dor afeta apenas quem trabalha sentado?

Até mesmo atividades de lazer e esportivas podem predispor à inflamação, por exemplo, pedalar e remar.

Exercícios mal feitos

Se exercitar é sempre o melhor remédio! Mas fazer de qualquer forma e sem orientação de forma contínua pode levar a lesões. Os movimentos mal feitos, de forma repetitiva, geram tensão ou estiramento inadequado dos músculos e ligamentos ao redor do cóccix, lesionando-os.

Bumbum cheio ou bumbum murcho

Tanto estar com sobrepeso (e com um bumbum avantajado) quanto estar abaixo do peso e sem gordura no bumbum, podem deixar essa região com muita pressão ou exposta ao atrito quando a pessoa estiver sentada.

Cair sentado

Em casos de queda sentado, o osso pode ser deslocado ou até mesmo fraturado. É comum as pessoas caírem sentadas e, após anos, descobrirem que não houve a consolidação adequada do osso com sintoma frequente de dor crônica. Lembre-se que uma lesão prévia é fator de risco para desenvolver esse quadro.

Mulheres

Geralmente afeta mais as mulheres do que os homens. Em mulheres, pode tornar até o período da menstruação mais incômodo. Ainda por conta dos hormônios, elas se tornam mais flexíveis já que o corpo se prepara para o parto, o que pode gerar mudanças da posição do sacro e inflamação de forma progressiva da área. Durante o parto, também pode ocorrer o estresse em estruturas ao redor do cóccix e gerar uma lesão.

Diagnóstico

Se a dor se tornar grave ou persistentemente incômoda, é necessário a avaliação de um profissional da área de saúde, especialmente se houver hematomas ou erupções cutâneas associadas.

Para fechar o diagnóstico correto, são coletados dados da anamnese, testes e avaliação física. É importante se descartar lesões em pelve ou lombar, doenças intra pélvicas como problemas de próstata, cólon, útero, etc.

Tratamento

A dor no cóccix geralmente melhora ao longo de algumas semanas ou meses. Por conta do quadro, há pessoas que desenvolvem dores nas costas, quadris e irradiação para pernas. É bastante comum a dor se amplificar devido a pontos de tensão muscular em volta da região. No geral, o tratamento conservador é a melhor solução e a prevenção do quadro é a melhor estratégia.

A opção cirúrgica é recomendada apenas em casos de falha de tratamentos anteriores.

Como prevenir a dor no cóccix

Prevenção é sempre a melhor estratégia! Algumas dicas simples podem te ajudar a prevenir ou aliviar algum tipo de desconforto:

  • Usar almofadas e assentos acolchoados podem aliviar a pressão ou a dor na região do cóccix.
  • Evitar longos períodos sentados.
  • Fazer pausas para levantar, caminhar e alongar durante o expediente em casa.
  • Repouso e uso de compressas frias ou quentes, caso os sintomas já estejam presentes.
  • Em caso de prescrição médica, o uso de medicação para aliviar os sintomas pode ser necessário.

Dica de ouro: Ao se sentar, incline levemente o tronco para a frente, o que pode ajudar a retirar a pressão sobre o cóccix. Aprenda a se sentar sobre os ísquios e não sobre o cóccix. Caso tenha dúvidas sobre postura ou consciência corporal, procure orientação de um profissional de saúde.

Fisioterapia: O fisioterapeuta poderá abordar ajustes de ergonomia no seu dia a dia, proteção articular e técnicas para aliviar o desconforto. Além disso, é importante a avaliação da posição da pelve e do cóccix para o tratamento correto através de cinesioterapia e manipulação. A fisioterapia pode envolver o trabalho de liberação de estruturas musculares rígidas e dolorosas, como os músculos levantadores do ânus, coccígeo e piriforme. Para mulheres, gestantes e puérperas são bastante difundidas as técnicas de trabalho de assoalho pélvico.

*Colaboração Dra. Renata Luri, Fisioterapeuta Doutorada pela Unifesp e Dra. Juliana Satake, Fisioterapeuta especializada em Saúde da mulher pela UNICAMP 

Referências:
– Foye PM et al. Phys Med Rehabil Clin N Am. (2017). Phys Med Rehabil Clin N Am. 2017 Aug;28(3):539-549. doi: 10.1016/j.pmr.2017.03.006. Epub 2017 May 27.
– Lin CH, Wu S,, Hu W, Hung CH, Hung YC, Aurea Kuo CE.Laser acupuncture for refractory coccydynia after traumatic coccyx fracture: A case report.Medicine (Baltimore). 2020 Feb;99(6):e18860. doi: 10.1097/MD.0000000000018860.
– Lirette LS, Chaiban G, Tolba R, Eissa H. Coccydynia: an overview of the anatomy, etiology, and treatment of coccyx pain. Ochsner Journal. 2014 Mar 20;14(1):84-7.

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.