Topo
Paola Machado

Paola Machado

Categorias

Histórico

Trocar hábitos é possível, basta você entender como condicionar a si mesmo

Paola Machado

2019-05-20T19:04:00

19/05/2019 04h00

Mudar hábitos só depende de estabelecer uma rotina: como o Carioca fez para deixar de comer pipoca doce toda noite – Foto: iStock

Eu sou uma pessoa bem caxias com os meus hábitos e rotina — sempre fui, até antes de saber que rotina era uma rotina de fato. Estabeleci a metodologia do meu doutorado, a metodologia da minha clínica, tudo pensando em mudança de hábito, comportamento e rotina. Quando já estava com tudo redondo, comprei o livro "O Poder do Hábito" de Charles Duhigg e achei impressionante como, sem querer, coloquei um hábito em tudo o que estava fazendo.

Nosso cérebro é espetacular e, da mesma forma que ele condiciona bons hábitos, ele condiciona maus hábitos. E o hábito é algo totalmente moldável. Li, reli o livro, li mais uma vez com outra percepção e acabei trazendo alguns novos conceitos de vida com base em toda minha interpretação pessoal, prática e científica que gostaria de expor aqui para vocês de forma fácil, sem florear muito.

Já que estamos falando sempre sobre a evolução do meu marido aqui na minha coluna, vou expor para vocês um hábito que ele tinha e como modificamos um hábito que fazia mal para ele por um bom hábito.

Todos os dias, depois do jantar, lá pelas 22:00, ele sentava no sofá para assistir seu jornal — isso chamamos de DEIXA, que são todos aqueles momentos, ações e comportamentos que estão relacionados ao start do hábito. Nesse momento, talvez até por merecimento de um longo dia de trabalho, ele fazia uma pipoca bem doce — aqui está o mau HÁBITO que ele condicionou durante anos. Depois que ele comia, ele sentia o prazer de ter comido — aqui está o que chamamos de RECOMPENSA. Quando se trata de hábito temos que substituir e não deixar um buraco nesse meio da deixa e recompensa. Aqui está o grande erro das pessoas. "Quero emagrecer e vou tirar a pipoca doce". Pronto! Você criou um grande buraco patológico e ficará pensando naquela pipoca o tempo todo.

Por esse motivo, o que você tem que entender, é que qualquer hábito é substituível. Você sempre terá seu momento de deixa e sempre sentirá a sua recompensa; mas o hábito pode ser trocado por um outro hábito. E assim fizemos. Ele continuou sentando no sofá para assistir seu jornal às 22:00, mas ao invés da pipoca, criamos o hábito do chá — que ele sempre amou –, e a recompensa veio da mesma forma. Substituímos o mau hábito da pipoca doce, pelo bom hábito dos chás; com a mesma deixa e a mesma recompensa.Os primeiros dias foram de fato estranhos, mas condicionamos nosso organismo pela repetição.

Já a rotina do seu dia deve ser estabelecida com antecedência. Por esse motivo, tudo sai como planejado. Quando entendemos e fazemos escolhas conscientes, tudo fica muito mais claro e as escolhas muito mais pertinentes. Temos a grande mania de acordar e deixar o dia levar. Se aparecer uma pessoa vendendo chocolate no farol, "ah, sem problemas comprar e comer", afinal, você não tinha estabelecido uma rotina. Agora, se um dia antes, você destrinchar sua rotina detalhadamente — exemplo, acordo 06:00, como uma fruta e uma crepioca 06:20, treino 07:00 — não tem como você deixar seu dia levar.

O que deve estar claro é que tanto o hábito, quanto a rotina, devem ser condicionados por repetição; pois isso não muda de um dia para o outro — há quanto tempo você tem um mau hábito ou uma rotina desorganizada? Então, é preciso insistir. Colocar no papel. Colocar em prática e persistir, até que aquele hábito e aquela rotina tornem-se automáticos.

Que tal tentar?

Sugestão de leitura:
– DUHIGG, CHARLES. "O poder do hábito". Editora Objetiva.

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.