Topo

Histórico

Categorias

Carioca reduz 8,5 quilos em 6 semanas e seu corpo está totalmente diferente

Paola Machado

24/05/2019 04h00

Lembram-se do processo de emagrecimento do humorista Carioca (Marvio, que é meu marido)? Ele chegou a parte tão temida por todos: o platô.

Estamos quase entrando na semana 7 e durante a semana 5 o peso dele começou a estacionar, reduzindo de forma mais lenta –e isso é esperado. O processo de emagrecimento conta com algumas fases, e essa é uma delas. E você pode estranhar: "Mas ele ainda está na semana 7?". Sim. Não se esqueça que ele passou por uma cirurgia de retirada do siso, interrompendo o processo durante duas semanas.  

O platô

Para as pessoas que passam pelo processo de emagrecimento pode ocorrer o efeito platô, ou seja, um período em que o emagrecimento fica estagnado ou se torna mais difícil. Mas por qual motivo isso acontece, se você está fazendo tudo direito?

Durante as primeiras semanas do processo de emagrecimento há uma redução mais acelerada do peso corporal. Isso é normal, já que você implementa novos hábitos, melhora a qualidade dos alimentos, consome menos calorias, inclui exercícios na rotina, reduz a retenção líquida etc.

Porém, quando perdemos peso, perdemos água, gordura e também massa muscular. O músculo é um tecido metabolicamente ativo, ou seja, tem uma participação importante no gasto calórico em repouso. À medida que você perde peso, seu metabolismo diminui, fazendo com que você "queime" menos calorias do que quando tinha um peso maior de músculos.

O metabolismo mais lento retardará a perda de peso, mesmo se você ingerir o mesmo número de calorias que te ajudou inicialmente no emagrecimento. Quando as calorias que você utiliza são iguais às calorias que consome, você alcança um platô. Porém, esta condição também pode ser explicada por oscilações hormonais e metabólicas, afinal o corpo humano é muito complexo.

Por isso, para emagrecer de forma adequada, você precisa fortalecer a musculatura com exercícios de musculação com suas variações, incluir HIIT (treinamento intervalado de alta intensidade) ou aeróbio após ou separado desse treino e também criar novas estratégias alimentares. Nosso organismo é muito adaptável, por isso, se usarmos sempre as mesmas estratégias, o platô ocorre de forma mais intensa; a abordagem, estímulos e estratégia deve mudar sempre, de acordo com suas necessidades e orientação dos seus profissionais.

Como driblamos o platô no processo de emagrecimento do Carioca?

O método 12 semanas trabalha com estímulos. Temos estímulos novos em todas as semanas pares do tratamento, mudando toda a alimentação, o treino e incluindo diferentes metas e desafios –que são todos individualizados. É natural que a semana 4 a 6 sejam semanas mais intensas, por isso potencializamos os estímulos. Nas semanas ímpares trabalhamos com um processo de sobrecarga no treino e novas orientações com cardápio –assim, alternamos semanas de adaptação com semanas de estímulos e sobrecarga.

Alimentação

A doutoranda pela Universidade Federal de São Paulo e nutricionista comportamental da Clínica 12 semanasDra. Samantha Rhein, conta como está trabalhando nesse caso.

"Temos muitas estratégias e todas elas individualizadas. Inicialmente, a busca de melhor regulação metabólica pode desencadear o emagrecimento, e isto acontece quando analisamos criteriosamente os exames metabólicos –colesterol total e frações, glicemia de jejum, insulina, fatores inflamatórios, entre outros –, de forma sempre integral e em equipe, aplicando estratégias e recomendações alimentares que favorecem, além da melhora destes indicadores, o estímulo para que o nosso corpo comece a funcionar de forma mais efetiva, promovendo a 'queima' energética a partir de gorduras –ácidos graxos predominantemente.

Podemos também reduzir o total de calorias habitualmente consumidas, ocasionando o que chamamos de balanço energético negativo –gastamos mais e comemos menos, proporcionalmente –; neste caso a associação de exercícios físicos é ainda mais importante.

Mas, após algum tempo, seu corpo tenderá a se adaptar a esta alimentação, e então poderemos trabalhar com outro tipo de manejo, como uma nova redução calórica –sempre com o devido cuidado para não entrarmos em restrições desnecessárias –, comer mais vezes ao dia, promovendo melhor controle neuroendócrino e percepção/sinalização da sensação de fome e apetite, redução discreta na proporção de proteínas dietéticas e diminuição de índice glicêmico do cardápio associado à  redução de sua carga glicêmica. Estas são algumas das estratégias nutricionais mais utilizadas e 'seguras', sem a necessidade de restrições e estratégias mirabolantes.

O corpo humano é sábio e está sempre buscando o equilíbrio. Até quando estamos emagrecendo nosso metabolismo 'arma' estratégias para se poupar e é neste contexto que acontece o efeito platô."

Exercício

O profissional de educação física e doutor pela Universidade Federal de São Paulo da clínica 12 semanas Leandro Fernandes mostra também as estratégias que está utilizando para esse processo.

"Para 'driblar' o platô dentro do mesmo volume de treino –tempo total de treino –, mudamos algumas variáveis, tais como: velocidade de execução dos exercícios (aumentamos o tempo sob tensão da musculatura, principalmente na fase excêntrica), inserimos alguns exercícios com drop-set e conseguimos aumentar as cargas nos exercícios. Esse estímulo 'diferente' tem proporcionado resultados surpreendentes no ganho de força e tonicidade muscular.

Associado ao treino resistido também fizemos modificações no HIIT. A principal modificação foi o aumento do tempo de estímulo e diminuição do tempo de recuperação. Todas essas modificações foram possíveis pois o Marvio tem se dedicado aos treinos e melhorado diversas capacidades físicas.

Resultado após 6 semanas 

Com toda essa evolução, Marvio passou pelo platô sem nem mesmo perceber, já que demos muitos estímulos. Duas semanas foram suficientes para rompermos esse processo e ele saiu dos seus 93,6 e já está com 92,0 — 8 quilos e 500 gramas a menos do início, com seus 100,5 quilos.

 

Além do peso, as mudanças de condicionamento físico, bem-estar, qualidade do sono e até humor foram muito evidentes e tendem a melhorar ainda mais. Semana que vem vamos analisar a bioimpedância novamente e, em 15 dias, escrevo aqui mais uma vez sobre a evolução de composição de gordura corporal. Vale lembrar que primeiro estamos trabalhando o processo de emagrecimento, para depois iniciarmos hipertrofia. Será que ele vai ficar fortão? Risos.

Agradecimentos
Clínica 12 semanas
Nutricionista Dra. Samantha Rhein
– Profissional de educação física Dr. Leandro Fernandes
– Neurologista e termigrafista Dr. Leonardo Lo Duca

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.

Paola Machado