Topo
Paola Machado

Paola Machado

Categorias

Histórico

Ressaca? Dormiu mal? Está gripado? Veja quando você não deve ir treinar

Paola Machado

04/03/2019 04h00

Crédito: iStock

Trago sempre diversos benefícios do exercício para o seu organismo, mas, às vezes, o ideal é que pare um pouco e descanse.

A chave é poder ouvir o seu corpo, os sinais que ele está dando e decidir se, naquele momento, você deve mesmo realizar o exercício. Eu sei que se você parar para ouvir o seu eu, com certeza, por qualquer desmotivação, você deixará o treino de lado. Mas vamos tentar deixar que isso realmente aconteça em situações mais complicadas.

Para você não ficar com peso na consciência, elencarei aqui momentos que você não deve treinar.

Quando você está com febre

Fique em casa e descanse. Quando está com febre, o seu organismo está sinalizando que o seu sistema imunológico está combatendo uma infecção e, por isso, ele não precisa lidar com o estresse extra do exercício.

Se você, mesmo assim, se exercitar, esteja alerta para superaquecimento (hipertermia) e desidratação, já que os fluídos corporais diminuem em situações como essa.

Ah, e você provavelmente não terá um ótimo rendimento no treino, uma vez que a febre aumenta a frequência cardíaca em repouso, o que leva a um treino menos eficaz, ou seja, você treinará à toa e poderá retardar sua melhora ou mesmo piorar.

Quando você está resfriado ou gripado

Já publiquei aqui sobre a melhora da ação do sistema imunológico em exercícios curtos e moderados –o sistema de defesa é prejudicado mais pela duração do treino do que pela intensidade.

Alguns especialistas sugerem que exercícios de intensidade moderada são bons quando você tem um resfriado comum; mas, na minha opinião, se você está doente o seu corpo está precisando de descanso, para se focar na recuperação.

Além do mais, há a possibilidade de passar resfriado para pessoas próximas, principalmente em um ambiente fechado, com ar-condicionado de academia. Por isso, se você for treinar mesmo assim, limpe as superfícies com álcool e higienize as mãos para proteger os seus colegas de treino.

Crise de asma

Se teve algum problema de infecção respiratória recentemente, aguarde um pouco até a liberação médica ou até se sentir apto para reiniciar o treino.

Se tem crises frequentes de asma, peça sempre liberação ao seu médico antes de praticar exercícios. Quando a asma está bem controlada, certifique-se de fazer exercícios em que se sinta confortável, começando devagar e aquecendo por 10 minutos. Exercícios com intensidade baixa a moderada, intermitentes ou a natação em ambientes fechados podem ser as melhores escolhas para pessoas que sofrem com asma induzida por exercício. Se tiver qualquer crise, pare de se exercitar. Sempre tenha um plano de tratamento com você.

Sofreu uma concussão recentemente

Uma concussão é uma lesão cerebral traumática e é necessário se curar adequadamente. Não faça exercícios ou participe de nenhum esporte até que seu médico diga que é seguro realizá-lo –mesmo que você se sinta bem, pois se outro traumatismo craniano ocorrer devido ao exercício, antes que a concussão tenha cicatrizado, o cérebro é exposto a um risco maior de inchaço e danos comprometedores.

Quando há lesão ou dores

Se está sentindo alguma dor persistente, muito diferente de uma dor muscular, pare o treino e procure um médico.

A dor geralmente é um aviso do nosso corpo  que algo não está bem, e se você forçar pode sofrer uma lesão — principalmente quando a dor fica mais intensa ao realizar a movimentação do exercício. A dor repentina requer atenção médica imediata. O problema de você se exercitar com uma lesão é piorar ainda mais e causar danos complicados.

Dores incômodas nas costas, por exemplo, é necessário bastante atenção, já que a postura influencia em todas as movimentações. Em caso de dor, procure um médico.

Quando você dormiu mal ou está cansado

Se você não está 100%, dormiu mal, está cansado demais e estafado, seu corpo está pedindo descanso, não treino. Descanse, se recomponha e treine. A fadiga extrema ou persistente pode ser um sinal de alguma patologia, por isso sempre fique atento aos sinais que seu corpo dá.

Ressaca

Treinar não cura a ressaca, isso é fato. Se bebeu demais depois de uma festança e acordar com ressaca, tome um bom banho, descanse, se hidrate. Não vai inventar de treinar, pois, além de ser superperigoso por conta de qualquer mal-estar, pode levar a quadros severos de desidratação. 

Está passando por alguma dessas situações? Fique por dentro de dicas gerais para voltar a rotina de treinos na hora certa.

  • Deparou-se com qualquer situação dessas? Não apresse seu retorno. Espere se recuperar ou ter liberação médica para voltar com tudo.
  • Quando voltar, não volte de onde parou. Lembre-se que você teve que se afastar por algum motivo e você precisa retornar a fase de adaptação e aumentar progressivamente. É claro que, se você treinava bem, não é mais um iniciante; porém é necessário retomar a rotina com cautela até sentir-se apto a intensificar.
  • Se tiver qualquer recaída ou desconforto, procure o médico para que não progrida o problema.
  • Se teve alguma lesão ou doença e ficou fora da academia por menos de uma semana, comece com 80% a 90% de sua intensidade original e aumente lentamente a partir daí. Se a sua pausa durou mais de uma semana, reduza sua intensidade para 50% a 60% e aumente 10% a cada semana. Uma regra segura é que um aumento de 10% por semana em intensidade e duração.

Muitos fatores devem ser considerados para determinar a rapidez com que você pode retornar ao exercício após um problema. Eles incluem a duração da pausa, a idade e o nível de condicionamento anterior. Quanto mais fisicamente ativo você estava antes de parar, mais rapidamente você poderá retornar ao seu nível anterior de atividade — leia o texto sobre memória muscular. Se você teve uma doença de longa duração, consulte o seu médico sobre quaisquer limitações de exercício. Nunca se exercite se tiver dor no peito, falta de ar ou tontura.

Mais nem sempre é melhor. O exercício moderado pode ajudar a prevenir, controlar ou melhorar algumas doenças crônicas, como doenças cardíacas, câncer ou fibromialgia, mas se você tiver uma infecção aguda, o descanso é a melhor opção.

Referências:
– News release, American College of Sports Medicine.

Sobre a autora

Paola Machado é fisiologista do exercício, formada em educação física modalidade em saúde pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutoranda em nutrição pela UNIFESP. É autora do Livro Kilorias - Faça do #projetoverão seu estilo de vida (Editora Benvirá). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre obesidade, e tem um canal de desafios (30 Dias com Paola Machado) onde testa a teoria na prática. Também é fundadora do aplicativo aplicativo 12 semanas. CREF: 080213-G | SP

Sobre a coluna

Aqui eu compartilharei conteúdo sobre exercício e alimentação para ajudar você a encontrar o caminho para um estilo de vida mais saudável. Os textos são cientificamente embasados e selecionados da melhor forma possível, sempre para auxiliar no seu bem-estar. Mas, lembre-se: a informação profissional é só o primeiro passo da sua nova jornada. O restante do percurso depende 100% de você e da sua motivação para alcançar seu objetivo.